POR QUE FORMAMOS CÁLCULOS RENAIS?

A formação de cálculos renais é extremamente frequente na nossa população. Acredita-se que em torno de 14% da população desenvolve cálculos renais e cerca de 50% destes pacientes apresentam formação de novo cálculo em até 5 anos após a primeira crise quando não são adotadas medidas terapêuticas adequadas. Existem inúmeros tipos de cálculos renais e portanto as causas podem ser muito variadas. É um erro pensar que os cálculos renais constituem um único problema. Na verdade o mecanismo de formação do cálculo em um paciente pode ser totalmente diferente de outro paciente e portanto a composição destes cálculos e o tratamento também diferem. Como regra geral acredita-se que há um desequilíbrio entre fatores que promovem e os que evitam a cristalização urinária e é preciso compreender individualmente qual a causa predominante. Muitos fatores de risco podem estar envolvidos: sexo masculino, obesidade, fatores genéticos e familiares, erro alimentar, baixa ingestão hídrica e até mesmo doenças renais. O paciente com histórico de cálculo renal deve ser submetido a avaliação clínica e nutricional especializada. Os exames complementares devem incluir uma avaliação urinária detalhada, medida do pH urinário e também análise adequada do cálculo renal quando este está disponível. Somente através destas informações é possível traçar uma planejamento terapêutico adequado para cada paciente e obter os melhores resultados em termos de controle e prevenção.

Chat